Translate

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Segunda 09-09-2013
Ciências + Ciências (Introdução a Sistema nervoso)
Setimo sentido?
http://super.abril.com.br/ciencia/setimo-sentido-460476.shtml
Língua Portuguesa

Informações gerais 
O Hino da Independência do Brasil foi criado logo após o 7 de setembro. A letra do hino é de Evaristo da Veiga e a música de D. Pedro I.
HINO DA INDEPENDÊNCIA
-----------
Já podeis, da Pátria filhos,
Ver contente a mãe gentil;
Já raiou a liberdade
No horizonte do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Os grilhões que nos forjava
Da perfídia astuto ardil...
Houve mão mais poderosa:
Zombou deles o Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Não temais ímpias falanges,
Que apresentam face hostil;
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Parabéns, ó brasileiro,
Já, com garbo varonil,
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.
__________________

Exercício 

1º) Significado das palavras:
Podeis - capacidade ou possibilidade de fazer alguma coisa (poder)
Pátria - país onde nasceu.
Raiou - alvoreceu, amanheceu
Brava - valente
Servil - relativo a servo, subserviente
Grilhões - corrente de metal
Perfídia - deslealdade, traição
Astuto - habilidoso para fazer o mal
Ardil - artimanha, estratégia
Ímpias - cruéis
Falanges - tropa, legião
Hostil - inimigo
Garbo - elegância, porte
Varonil - viril, esforçado
INTERPRETAÇÃO FEITA PELOS ALUNOS
2º) Quem é a "mãe gentil"?
Pátria
3º) Por que já "raiou a liberdade" "No horizonte do Brasil"?
Porque tornou-se independente de Portugal.
4º) O que significa o trecho: "Longe vá... Temor servil"?
Que o medo de servir a alguém vá embora para longe
5º) Qual significado da estrofe "os grilhões (...) Brasil"?
Que as correntes que prendiam o Brasil a Portugal se romperam ao declarar sua independência.
6º) Na 5 estrofe do hino, a que se refere?
As cruéis tropas inimigas encontravam as muralhas do Brasil, união, juntos.
7º) O que o autor quis dizer no trecho "Do universo entre as nações. Resplandece a do Brasil"?
Diante de outras nações a do Brasil se destaca.



Pintura em que D. Pedro I realiza a execução da peça musical dedicada ao Hino da Independência.
Se a arte imita a vida, podemos notar que a história do Hino da Independência foi tão marcada de improviso como a ocasião em que o príncipe regente oficializou o fim dos vínculos que ligavam Brasil a Portugal. No começo do século XIX, o artista, político e livreiro Evaristo da Veiga escreveu os versos de um poema que intitulou como “Hino Constitucional Brasiliense”. Em pouco tempo, os versos ganharam destaque na corte e foram musicados pelo maestro Marcos Antônio da Fonseca Portugal (1760-1830).
Aluno do maestro, Dom Pedro I já manifestava um grande entusiasmo pelo ramo da música e, após a proclamação da independência, decidiu compor uma nova melodia para a letra musicada por Marcos Antônio. Por meio dessa modificação, tínhamos a oficialização do Hino da Independência. O feito do governante acabou ganhando tanto destaque que, durante alguns anos, Dom Pedro I foi dado como autor exclusivo da letra e da música do hino.
Abdicando do governo imperial em 1831, observamos que o “Hino da Independência” acabou perdendo prestígio na condição de símbolo nacional. Afinal de contas, vale lembrar que o governo de Dom Pedro I havia sido marcado por diversos problemas que diminuíram o seu prestígio como imperador. De fato, o “Hino da Independência” ficou mais de um século parado no tempo, não sendo executado em solenidades oficiais ou qualquer outro tipo de acontecimento oficial.
No ano de 1922, data que marcava a comemoração do centenário da independência, o hino foi novamente executado com a melodia criada pelo maestro Marcos Antônio. Somente na década de 1930, graças à ação do ministro Gustavo Capanema, que o Hino da Independência foi finalmente regulamentado em sua forma e autoria. Contando com a ajuda do maestro Heitor Villa-Lobos, a melodia composta por D. Pedro I foi dada como a única a ser utilizada na execução do referido hino.

Nome completo de D. Pedro I - Pedro de Alcântara, Francisco, Antônio, João, Carlos, Xavier de Paula, Miguel, Rafael, Joaquim, José, Gonzaga, Pascoal, Cipriano, Serafim, de Bragança e Bourbon.

HINO NACIONAL
Parte I
Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heróico o brado retumbante,
E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,
Brilhou no céu da pátria nesse instante.
Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó liberdade,
Desafia o nosso peito a própria morte!
Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!
Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
A imagem do Cruzeiro resplandece.
Gigante pela própria natureza,
És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza.
Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!
Parte II
Deitado eternamente em berço esplêndido,
Ao som do mar e à luz do céu profundo,
Fulguras, ó Brasil, florão da América,
Iluminado ao sol do Novo Mundo!
Do que a terra, mais garrida,
Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;
"Nossos bosques têm mais vida",
"Nossa vida" no teu seio "mais amores."
Ó Pátria amada,
Idolatrada,
Salve! Salve!
Brasil, de amor eterno seja símbolo
O lábaro que ostentas estrelado,
E diga o verde-louro dessa flâmula
- "Paz no futuro e glória no passado."
Mas, se ergues da justiça a clava forte,
Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte.
Terra adorada,
Entre outras mil,
És tu, Brasil,
Ó Pátria amada!
Dos filhos deste solo és mãe gentil,
Pátria amada,
Brasil!
Letra: Joaquim Osório Duque Estrada
Música: Francisco Manuel da Silva
Atualizado ortograficamente em conformidade com Lei nº 5.765 de 1971, e com
art.3º da Convenção Ortográfica celebrada entre Brasil e Portugal. em 29.12.1943.

Vale lembrar mais uma vez que não é "Os vira do Ipiranga" ou "Ouviras do Ipiranga" o correto é "OUVIRAM".

1º) Procure as palavras no dicionário.
Ipiranga - rio onde às margens D. Pedro I proclamou a Indepêndencia do Brasil em 7 de Setembro de 1822.
Brado - grito
Retumbante - som que se espalha com barulho.
Fúlgido - que brilha, cintilante.
Penhor - garantia, segurança de que haverá liberdade.
Idolatrada - amada mais do que tudo
Vívido - intenso
Formoso - lindo, belo
Límpido - puro, que não é poluído.
Cruzeiro - constelação
Impávido - corajoso
Colosso - grande
Espelha - reflete
Gentil - generoso, bondoso, acolhedor
Esplêndido - grandioso, magnifico
Fulguras - brilhas
Florão - enfeite circular em forma de flor.
Garrida - florida, enfeitada
Lábaro - bandeira
Ostentas - mostra com orgulho
Flâmula - bandeira
Clava - arma primitiva de guerra, tacape.

 Exercício
2º) O que o autor quis dizer com um povo heroico?
R - um povo corajoso que não desiste fácil.
3º) "desafia o nosso peito a própria morte" pelo que?
R- liberdade, nossa Pátria.
4º) Por que "o Brasil é gigante pela própria natureza?
R - Belezas naturais maravilhosos e diversidade de plantas, árvores etc.
Correção dia 11-09-2013

Educação Física

3 comentários:

  1. QUADO SE ENTENDE A INTERPLETAÇOES É QUE VEMOS A MARAVILHA E GRANDIOSIDADE DESTE MARAVILHOSO HINO!!

    ResponderExcluir
  2. QUADO SE ENTENDE A INTERPLETAÇOES É QUE VEMOS A MARAVILHA E GRANDIOSIDADE DESTE MARAVILHOSO HINO!!

    ResponderExcluir